quarta-feira, 2 de abril de 2008

No amor todo silêncio é ouvido

Pintura - Thomas Gainsborough

O que mais me alucina é um olhar triste quando quer sorrir. Um sapato distante do seu par também me alucina. Como a companhia de uma solidão a dois. Maria é professora de português. Profere que gosta de minhas palavras, mas segundo ela, só escuta o silêncio de minhas frases. Diz que minhas palavras me calam, enquanto penso que elas expressam-me.

Um escritor se faz com os silêncios de suas palavras.
No amor alucino qualquer razão para que o declarar seja intenso. A palavra nuança o amor, nubla o amor. O amor insinua-se rubor na face, cerrar de pálpebras num último aceno, insinua-se despedida para ser logo acolhido. O amor deseja ser embalado pelos silêncios das cantigas de ninar. Quem nunca confessou o amor apenas com a ternura do olhar? Quem nunca cantou sua canção favorita sem um rumor se quer? Quem nunca leu um poema nos olhos da pessoa amada?

Palavra não quer dizer intimidade. A intimidade possui outras vestes, diferente do amor. O amor se veste com adequada nudez. No amor nem toda centelha é fogo. Seu rosto de noite é travessura. Ebriedade. Seu rosto de noite é solidão. Seus cílios se afeiçoam a tristeza, se afeiçoam a loucura. A loucura é sua melhor razão. Maria diz saber ouvir o dormir de minhas palavras. O rumor da palavra apenas assusta a ternura, continua.

Quanto às palavras, eu as cultuo como a um deus. As palavras vestem a ternura, dão-lhes trajes de festa. Em silêncio a linguagem ajoelha-se para melhor rezar a palavra pecado. No silêncio da palavra pecado é onde reside a sua santidade. No silêncio do amor é onde os amantes melhor se ouvem.

Maria chora em silêncio um amor que não teve. Minha poesia chora em palavras por um dia que não houve haver.

5 comentários:

nicole vinks disse...

"Minha poesia chora em palavras por um dia que não houve haver." Magistral!!!
Soberbo!!!
BRavo!!!!

Cassandra Brunetto disse...

Oi, mocinho!!!!!!

Lindo demais o texto!!!!! Profundo, poético, belo... "Palavra não quer dizer intimidade"... Não mesmo... Intimidade é algo que vai muito além de palavras...

Meus parabéns!!!

Bjoks

Amanda disse...

Talvez o que mais me identifiquei. Tuas palavras continuam me encantando. Beijos poeta.

Marília disse...

Entrar aqui me conforta e sossega a alma. É sempre bom o silêncio das tuas palavras.

Julia Pastore disse...

"Um escritor se faz com os silêncios de suas palavras."
"O amor se veste com adequada nudez."

obrigada mais uma vez, querido.