sábado, 5 de abril de 2008

Mesmo perto é preciso olhar longínquo.

Pintura - Salvador Dalí

Mesmo perto é preciso olhar longínquo para o amor, como se contempla um pôr-do-sol, uma fotografia de quando criança, uma fotografia de uma partida. É preciso olhar longínquo, mesmo para si, há mais palavras no poema que imaginamos ser, há mais ternura, mais loucura, mais arcano. É preciso olhar longínquo para nudez da mulher amada, há algo muito além do corpo, há algo muito além da febre, a nudez da mulher possui algo tão sagrado que a própria poesia ajoelha-se em oração para rezá-la.

O desejo é um origami da alma feito pelas mãos do louco que carregamos dentro, disse-me certa vez um hospício. É esse louco que melhor olha, que melhor sente, vive. É esse louco que nos faz transbordar sede, encorpar embriaguez, tocar o longínquo do amor. É esse louco de dentro que delineia a razão do amor. Mesmo perto é preciso olhar longínquo para as coisas tristes porque belas as olhando assim, porque passadas as olhando assim. Tudo é contentamento para olhos sedentos de paisagens. Tudo é tão dentro no amor, tão entranhado, arrebatado, que precisa-se fechar os olhos para enxergar. Precisa-se abreviar a razão, alargar o delírio.

Olhei a loucura nos olhos e senti mais existência. Nunca me senti tanto. Estavam belos seus olhos, talvez porque tristes ou tristes porque talvez. Estavam. Contemplei com vagar a sua graça e a quis minha. Mesmo perto é preciso olhar longínquo, para Deus, para a dor, para o amor, para o poema nunca escrito. É imprescindível olhar longínquo para quase tudo, menos para a loucura, para a loucura é preciso olhar perto, sentindo o cheiro, sentindo o hálito, a febre; sentindo-se ela. É preciso olhar...

4 comentários:

Amanda disse...

A loucura sempre me chamou atênção, mais um hospício dizendo alguma coisa é algo profundo e poético demais. Deve dificil suportar tanta existência assim Alessandro.
Beijo grande, imenso poeta.

Silvestre Gavinha disse...

Concordo com tudo que belamente dizes,
Meu Senhor, que inspiração!!!!
Olhar de longe o amor, olhar de longe a si mesmo e de perto a loucura, nada mais certo, nada mais belo, nada mais íntimo, nada mais.
Necessário.
Tua poesia está apaixonada sem dúvida. Teu namoro com a morte certamente te inunda de vida.
Um beijo
Marie

nicole vinks disse...

Também gostaria de saber onde fica esse poço de poesia, ou melhor esse mar, são muitos os versos lindos, profundos, delicados que fazem a tua poesia.
Meu, de verdade, você é um dos melhores escritores que encontrei nos últimos tempos. Gostaria de comprar teus livros. Beijos!

Luciana F. disse...

Nossa, muito bom mesmo. Tenho que passar mais seguido por aqui. Inpirador...Bjos!