segunda-feira, 28 de abril de 2008

Da série: pequenos orgasmos

Pintura - Rufino Tamayo

*São tantas vozes meu silêncio.

*Meus poemas possuem desejos de pássaros.

*Gosto de dar nome aos silêncios das coisas.

*Ensina-me a mendigar teus olhos, esse jardim.

*É-me tão próximo, tão dentro, o rumor de tua ausência.

* Tua ausência é meu nome.

6 comentários:

Ebbios disse...

Nossa... essas por si só já mereciam um prêmio da academia brasileira!

Felipe disse...

Altivez. Seus poemas são altivez.

Felipe disse...

Falou "Lipirius".

Cassandra Brunetto disse...

Ausência... É algo que tem sido constante na minha vida, ultimamente... E são vários tipos de ausência... Ausência de tanta coisa...

Pena que não tenho conseguido acompanhar as tuas postagens mais seguidamente... Tá simplesmente impossível...

Te gosto mto... E gosto mto tb de tudo que tu escreve... Tu é ótimo!

Saudade!

Bjoks

Silvestre Gavinha disse...

Alessandro,
Um tempo sem te ler e quando volto esta paisagem.
Sempre lindo.
Que delicioso passeio.
Obrigada
Um beijo
Marie

felinea disse...

e eu adoro essa série! :)

lindo lindo.

silenciosos abraços.